A CRIAR VETERINÁRIA é um grupo de profissionais que presta serviço especializado em reprodução e produção de bovinos no estado da Bahia e região Nordeste.

Habilitada a utilizar todas as tecnologias disponíveis tais como:

Programa Sanitário anual; Implantação de Estação de Monta; Controle Reprodutivo das Fêmeas; Inseminação Artificial; Inseminação Artificial em Tempo Fixo; Exame Andrológico; Exame Ginecológico; Ultrasonografia Reprodutiva; Diagnóstico Precoce da Gestação; Sexagem Fetal; Utilização Racional das Pastagens, Suplementação e Técnica de Alimentação; Gerenciamento e Treinamento de Mão de Obra; entre outras.

A CRIAR Veterinária propõe que com planejamento e consultorias veterinária, zootécnica e administrativa, as fazendas de pecuária terão significativa melhoria no desempenho dos empreendimentos, principalmente com o aumento da colheita anual de bezerros, agregando desse modo valor Genético e Comercial aos animais maximizando a lucratividade na atividade.

Solicite uma visita diagnóstico à sua propriedade e conheça os nossos: Programa de Eficiência Reprodutiva e Plano Especial de Produção e Eficiência Reprodutiva

CONTATO:

e-mail:

Telefone:

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O Exame andrológico no manejo e na seleção de reprodutores bovinos


A capacidade reprodutiva de touros é avaliada pelo exame andrológico, o qual estabelece uma relação entre as condições físicas do animal, com uma avaliação do aparelho reprodutor e sua biometria bem como as características do ejaculado com as medições da concentração, motilidade e morfologia da população de espermatozóides, e testes funcionais, que permitem identificar a funcionalidade dos testículos para produção qualitativa de sêmen.

A seleção de reprodutores é fundamental para o melhoramento genético dos rebanhos bovinos. A utilização do exame andrológico é uma importante ferramenta para afastar animais que além de problemas reprodutivos possam transmitir características indesejáveis aos seus descendentes. O desenvolvimento andrológico dos animais pode ser acompanhado desde o nascimento ou logo após o mesmo, até a maturidade do animal através da realização de exames rotineiros.

Problemas do desenvolvimento dos testículos podem ser precocemente detectados em exames de animais jovens. O criptorquidismo em bovinos pode ser facilmente diagnosticado aos três meses de idade. A aplasia segmentar do epidídimo é outra patologia que pode também ser detectada nestes primeiros exames. Permitindo afastar da reprodução animais potencialmente subferteis ou inférteis, descartando os seus portadores.

 A mensuração da Circunferência Escrotal (CE) e a biometria testicular devem ser iniciadas com o animal bem jovem também, pois está fortemente correlacionada com a idade do animal e com a produção de andrógenos e a qualidade do ejaculado fornecendo informaçõ de alta relevância na seleção de reprodutores.

A fertilidade do touro é uma das mais importantes características do rebanho de corte, principalmente em se tratando de criações extensivas em que a reprodução constitui fator limitante à produção. Portanto é de fundamental importância que ao início de cada estação reprodutiva os touros estejam aptos para a reprodução e tenham real capacidade de cobrir e emprenhar as vacas expostas. O exame andrológico deve ser realizado anualmente o mais próximo possível do início do período reprodutivo, mas com tempo suficiente para que seja possível a reposição dos reprodutores que eventualmente sejam reprovados no exame.

O exame andrológico pode mostrar animais com patologias na bolsa escrotal, nos testículos, nos epidídimos, nos cordões espermáticos, no prepúcio, no pênis bem como nas glândulas anexas, permitindo o tratamento ou descarte dos animais irrecuperáveis com sua substituição por animais com capacidade andrológica comprovada, não comprometendo os resultados das estações reprodutivas.

Ferramenta importante na execução do exame andrológico a ultrasonografia é um importante instrumento para o diagnóstico identificando e localizando lesões intraescrotais como cistos e diferenciado se as lesões são testiculares ou para-testiculares. É um exame realizado com o mínimo de desconforto para os animais e promove informação de alta sensibilidade e com baixa ocorrência de falso positivos.

Para terminar o exame andrológico uma completa avaliação do ejaculado precisa ser realizada. O vigor, o turbilhonamento e o motilidade espermática progressiva, são avaliados com o sêmen vivo no local de realização do exame e seus resultados são em escores de 1 a 5 para os primeiros e em percentual para a motilidade progressiva. A morfologia espermática pode ser realizada com a utilização de microscopia de contraste de fase com uma câmera úmida ou esfregaço corado. Por fim a concentração de espermatozóides no ejaculado é calculada.

Com todos os dados coletados faz-se a correlação dos achados classificando os animais em aptos ou inaptos para a reprodução respeitando-se características individuais e de grupo racial. Com a utilização da ferramenta do exame andrológico adquire-se uma maior segurança para a utilização dos touros em cada estação reprodutiva e na seleção dos reprodutores para a substituição.

Na condução de estações reprodutivas que utilizam touros, seja totalmente ou integrados a programas de inseminação artificial, o exame andrológico aparece como ferramenta indispensável para o alcance dos resultados finais, visto que diminui os riscos de insucessos, pois se passa trabalhar apenas com os animais considerados aptos para a reprodução, tratando dos que eventualmente apresentem algum problema temporário ou substituindo aqueles que não atinjam os parâmetros considerados mínimos para um bom desempenho.

A adoção de exames andrológicos ou parte dele de forma precoce é uma forma de detectar o mais rápido possível problemas que os futuros reprodutores possam ter principalmente problemas transmissíveis e que levem a subfertilidade como criptorquidimos. Serve também como mecanismo de seleção genética, pois detectaria precocidade sexual, podendo-se utilizar esta informação visando transmitir esta característica útil ao rebanho. Sendo, portanto de boa prática na seleção dos reprodutores evitando-se custos desnecessários com animais de potencial inferior direcionando os recursos apenas para os animais superiores.

2 comentários:

silvioafonso disse...

.


É útil o seu blog. Parabéns.
Vou segui-lo, mas ficaria hon-
rado se você seguisse o meu.

silvioafonso






.

Ednei Carvalho disse...

Oi, adorei seu blogue. Estou te seguindo, gostaria de seguir o meu também? http://www.abrangegeral.com.br/
agradeço de coração, grande abraço!!