A CRIAR VETERINÁRIA é um grupo de profissionais que presta serviço especializado em reprodução e produção de bovinos no estado da Bahia e região Nordeste.

Habilitada a utilizar todas as tecnologias disponíveis tais como:

Programa Sanitário anual; Implantação de Estação de Monta; Controle Reprodutivo das Fêmeas; Inseminação Artificial; Inseminação Artificial em Tempo Fixo; Exame Andrológico; Exame Ginecológico; Ultrasonografia Reprodutiva; Diagnóstico Precoce da Gestação; Sexagem Fetal; Utilização Racional das Pastagens, Suplementação e Técnica de Alimentação; Gerenciamento e Treinamento de Mão de Obra; entre outras.

A CRIAR Veterinária propõe que com planejamento e consultorias veterinária, zootécnica e administrativa, as fazendas de pecuária terão significativa melhoria no desempenho dos empreendimentos, principalmente com o aumento da colheita anual de bezerros, agregando desse modo valor Genético e Comercial aos animais maximizando a lucratividade na atividade.

Solicite uma visita diagnóstico à sua propriedade e conheça os nossos: Programa de Eficiência Reprodutiva e Plano Especial de Produção e Eficiência Reprodutiva

CONTATO:

e-mail:

Telefone:

segunda-feira, 16 de março de 2009

Como Escolher Novilhas Para Reposição

Um fato reconhecido é que a taxa de reprodução é uma característica importante para os sistemas de produção de bovinos de corte, pois pode promover a melhoria da rentabilidade na atividade, podendo, ainda, viabilizar o emprego de programas de seleção animal, em função da maior taxa anual de reposição. Em sistemas extensivos de criação o primeiro acasalamento de novilhas de corte é efetivado em torno dos dois anos de idade com o objetivo de reduzir sua fase não produtiva. Não necessariamente esta é a idade à puberdade, que, em função do sistema de criação já pode ter sido atingida pelas novilhas em torno do primeiro ano de vida. No entanto, sabe-se que a primeira ovulação fértil deve ocorrer entre os 5 e os 24 meses de idade, na dependência do nível nutricional, desenvolvimento corporal, estação do ano, fatores de manejo e tratamentos hormonais.
Conseguir novilhas de reposição entre 22 e 24 meses de idade representa uma das atividades mais onerosas dentro do sistema de produção de leite. Devido à natureza do manejo de novilhas de reposição, a atividade leiteria investe em alimentação, mão-de-obra e capital durante um período de 22 a 24 meses sem receber qualquer retorno financeiro. Se a novilha parir um ano antes gera 16% a mais de retorno econômico ao sistema. No geral, a maioria dos produtores retém boa parte das novilhas do próprio rebanho para repor as vacas descartadas. O manejo destes animais, da desmama ao início da monta, e do primeiro parto ao período de monta seguinte, é de extrema importância na produtividade futura do rebanho de cria. Devido ao manejo inadequado ou falta da atenção necessária, o desenvolvimento desses animais fica prejudicado, resultando em baixos índices de prenhez e de natalidade. Essas devem ser selecionadas e manejadas para que atinjam a maturidade sexual mais cedo. Para que esses objetivos sejam alcançados é necessário observar alguns pontos:
-Propiciar condições nutricionais e sanitárias adequadas para a redução da idade à puberdade;
-Selecionar para reposição aquelas que conceberam ao início do período de monta;
-Fornecer condições nutricionais adequadas para que as novilhas apresentem condições corporais de moderada à boa ao parto.
A restrição alimentar durante o último trimestre de gestação é prejudicial ao desenvolvimento das novilhas e do feto, reduz o peso do bezerro ao nascimento e os índices de concepção após o parto. Como nessa fase as exigências nutricionais destas são muito superiores às das vacas por estarem ainda em crescimento, recomenda-se que elas sejam manejadas em separado. Por outro lado, o excesso de peso pode também contribuir para a redução dos índices de fertilidade. Nos sistemas extensivos de criação de bovinos de corte o peso corporal assumido como ideal das novilhas ao primeiro acasalamento é de aproximadamente 60% do peso adulto das vacas nas raças européias e 65% para zebuínas, associadas à CC entre 3 e 4. Como observado por alguns estudos, os tratamentos hormonais à base de progesterona também podem aumentar a atividade cíclica e diminuir a idade à puberdade de novilhas. O aumento na freqüência de pulsos de LH é pré-requisito para a manifestação da puberdade, que pode ser induzida em novilhas ainda com baixo peso corporal com tratamentos de curta duração de progestágenos. Nos dias de hoje pelo menos uma dúzia de protocolos já foram delineados, incluindo os diversos hormônios disponíveis, como as prostaglandinas utilizadas em novilhas que já estão ciclando, sexualmente maduras, dos quais é possível esperar pelo menos 70% de gestações, dependendo do sistema eleito. No caso de novilhas ainda em anestro, porém com idade e peso corporal próximos do ideal para o início de sua atividade reprodutiva, o uso de sistemas incluindo os gestágenos são os recomendados para a obtenção de resultados semelhantes aos obtidos para novilhas precoces sexualmente e/ou criadas em melhores condições de alimentação.
O uso das biotécnicas para controle da reprodução das vacas de corte não substitui um bom planejamento da nutrição e da saúde dos animais, que deve ser delineado especificamente para as necessidades de cada unidade de produção. Programas de sucesso requerem vacas e novilhas em boa condição corporal e livres de enfermidades, facilidade de manejo dos animais e infra-estrutura disponível para detecção dos cios, separação e inseminação. Sob o ponto de vista prático é importante haver coerência entre as fases de cria e recria. De nada adianta estabelecer um sistema de cria sofisticado e caro, resultando em animais pesados e de excelente aspecto a desmama, se eles serão recriados em pastos de má qualidade, sem suplementação. Os ganhos de peso obtidos com alto custo na fase de cria serão perdidos durante a fase de recria, e vice-versa. A criação de novilhas representa o segundo maior custo na atividade leiteira (próximo a 20% das despesas totais), perdendo somente dos custos em alimentação do rebanho em produção. Conseqüentemente, minimizar gastos na criação de novilhas, sem prejudicar o desempenho ou o potencial produtivo dos animais de reposição, deve ser o principal objetivo nos sistemas criação.
ssim, o uso de determinadas técnicas de manejo (nutrição adequada, taxa de lotação de pastagens adequada, controle da época de nascimentos com o uso de estação de monta, estímulo com touro, uso de dispositivos contendo progesterona, e controle parasitário) associadas a estratégias de seleção genética para antecipar a idade à puberdade podem aumentar a produtividade dentro de um sistema de exploração.

2 comentários:

Daniel Burgos disse...

Dra. Aparecida Wicke, parabéns pelo artigo, próximo a completar um ano online, o portal Criar Vetrerinária, retomamos com a publicação de Artigos Técnicos, que apartir de agora se tornaram mais frequentes.

Virgílio Pacheco disse...

Dra.Aparecida Wicke,meus parabéns pelo Artigo,sei que viram outros artigos seus da mesma qualidade.